sexta-feira, 11 de maio de 2012

Ser mãe e ser Avó


Ser mãe é uma confusão. São tantas as emoções, sentimentos que é difícil de compreender. Ser avó é ser solução. Tudo de uma simplicidade ímpar. Ser mãe é passar, praticamente, os 9 meses vendo a barriga crescer enquanto planeja um mundo novo e sem problemas. Ser avó é imaginar que o neném virá coroar o mundo perfeito de uma vida de realizações. 

Ser mãe é viver um dia após o outro, um choro após o outro, uma fralda após a outra, um susto após o outro, um cochilo após o outro. Ser avó é ter disposição de sobra para todos os choros, todas as fraldas, não se assustar com nada porque já passou por todas as angústias de ser mãe. Ser mãe é sentir um orgulho danado quando dizem que é a cara da mãe. Ser avó é se deliciar em ver que, realmente, puxou todos os traços da família e dizer com orgulho que é a cara da avó quando bebê, mesmo que só tenha de parecido o dedinho mínimo tortinho do pé direito!. 

Ser mãe é isso. Uma fortaleza sem saber a noção de sua força. Ser avó é ser a fraqueza que contrabalança, pois o tempo é curto... Ser mão é descobrir uma nova mulher na mesma mãe todos os dias. Ser avó e ser várias mães em uma só mulher. Ser mãe é temer e chorar baixinho pensando sobre o mundo que seu filho herdará. Ser avó é penitenciar-se e ao mesmo tempo ter fé na vida e fé no que virá. Ser mãe é achar tudo maravilhoso! É prestar atenção enquanto seu filho descobre o mundo. É ter dúvidas se interfere ou se incentiva, pois tudo é novo e é ela que engatinha. Ser avó é aplaudir o acerto e consolar o erro, afinal, quantas vezes já caiu e levantou!. 

Ser mãe é perder não só a vaidade. É perder o sono, é não se olhar no espelho, é aprender a viver com olheiras, estrias, seios fartos e quem sabe caídos. Ser avó é achar que a maternidade é a fase mais linda da mulher porque o tempo passa para todos e que não se vive de aparências, mas do que se é no interior. Ser mãe é ser varias mulheres em uma só, desdobrar-se com 10 olhos e mil braços. Ser avó é ter a sapiência do “tudo ao seu tempo”, já que a pressa é inimiga da perfeição. 

Ser mãe é conseguir tudo ao mesmo tempo: cuidar da casa, dar de mamar, levar a escola, deixar andar por suas próprias pernas, entender cada tipo de choro, é pensar com medo na morte e com esperança na vida, é segurar as rebordosas, é não sentir dores no corpo apesar do cansaço, é discutir com o pediatra e acreditar no remédio da avó, ouvir os instintos. Ser avó é ser tudo isso pela segunda vez e sem reclamar, com o sorriso no rosto enrugado! 

Ser mãe é olhar para aquele serzinho e pedir a Deus que o abençoe por todos os dias da sua vida. Ser avó é saber que Deus atende! Ser mãe é ser filha e neta. É ter laços que jamais se cortarão apesar de, um dia, saber que todos voam e seguem seu caminho. Ser mãe é estar completa. Ser avó é ser completa. Ser mãe é seguir sempre em frente, confiante. Ser avó é olhar para trás e só ter a agradecer a confiança que a vida lhe depositou. 

Ser mãe... Ser avó... É ser, sempre e para sempre, anjos de Deus! 

Feliz dia das mães! 

Pedro Angelo

Um comentário: